segunda-feira, novembro 10, 2008

garimpos de ouro liquido

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
PEDRA DO ALTAR - PERAL - VALE DA MUA


Garimpo de ouro liquido

Chega o “Novem” a terras de Proença e suas gentes partem das aldeias e lugares em busca de tão nobre beneficio, em parcelas por vezes distantes, de difícil acesso e em condições meteorológicas adversas.

Esta busca e recolha de tão valiosas pepitas negras, transmitem um silêncio e um vazio ainda maior a grande parte destes lugares, apenas quebrado pelo regresso dos filhos que apesar de longe na distância, se mantêm sempre perto do seu lar de coração e que retornam para esta epopeia de árduo esforço mas de farta jornada de convívio.

A recompensa a todo este esforço virá depois da passagem pelas galgas e pela prensa onde um jorro de puro ouro liquido que mais tarde irá deliciar o mais apurado dos paladares com o seu aroma e sabor.

Este respeito pelos ciclos naturais de recolha e colecta dos frutos que a natureza dá e que o Homem transforma, são apenas mais um dos aspectos que a Bibliomóvel acompanha e que vai condicionando os seus percursos de uma forma fluida e dourada como o Azeite.

O Papalagui