segunda-feira, dezembro 22, 2008

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Este "estaminé" ambulante foi agraciado com este selo pelo Bibliotecas em Portugal. Estamos muito agradecidos pela lembrança e pela atenção prestada por este blogue, que presta um verdadeiro serviço público na comunidade bibliotecária nacional. Ao Fernando Vilarinho um enorme Bem Haja.
Mandam as regras desta distinção nomear 7 blogues merecedores deste selo, assim aqui vai a selecção do Bibliotecário Ambulante:

sexta-feira, dezembro 12, 2008

chama imensa

centralidade de afectos


CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE

quinta-feira, dezembro 11, 2008

relances natalícios

portugal, portugal

tiveste gente de muita coragem
e acreditaste na tua mensagem
foste ganhando terreno
e foste perdendo a memória

já tinhas meio mundo na mão
quiseste impor a tua religião
e acabaste por perder a liberdade
a caminho da glória

ai portugal portugal
do que é que estás a espera
tens um pé numa galera
e outro no fundo do mar
ai portugal portugal
enquanto ficares a espera
ninguém te pode ajudar

tiveste muita carta a bater
quem joga deve aprender a perder
que a sorte não vem só
quando bate a nossa porta

esbanjaste muita vida nas apostas
e agora trazes o desgosto as costas
não se pode estar direito
quando se tem a espinha torta

fizestes cegos de quem olhos tinha
quiseste por toda a gente na linha
trocaste a alma e o coração
pela ponta das tuas lanças

difamastes quem verdades dizia
confundiste amor com pornografia
e depois perdeste o gosto
de brincar com as crianças

ai portugal portugal
do que é que estás a espera
tens um pé numa galera
e outro no fundo do mar
ai portugal portugal
enquanto ficares a espera
ninguém te pode ajudar

jorge palma

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
CORGAS - MALHADAL

sexta-feira, dezembro 05, 2008

faróis

faróis distantes,
de luz subitamente tão acesa,
de noite e ausência tão rapidamente volvida,
na noite, no convés, que consequências aflitas!
mágoa última dos despedidos,
ficção de pensar...

faróis distantes...

incerteza da vida...

voltou crescendo a luz avançadamente,
no acaso do olhar perdido...

faróis distantes...
a vida de nada serve...
pensar na vida de nada serve...
pensar de pensar na vida de nada serve...

vamos para longe e a luz que vem grande vem menos grande.
faróis distantes...


álvaro de campos


CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
CUNQUEIROS - FÓRNEAS

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Um dia de chuva

"Um dia chuva é tão belo como um dia Sol
Ambos existem; cada um é como é."
Alberto Caeiro

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
VALE DAS BALSAS - CATRAIA CIMEIRA - PÓVOA

quinta-feira, novembro 20, 2008

"vó...vó...! é a bibloteca!"

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
VALE DAS BALSAS - CATRAIA CIMEIRA - PÓVOA

quarta-feira, novembro 12, 2008

mirando por um espelho

mirando pela janela

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO - AMBULANTE

RABACINAS - SOBRAL FERNANDO - MAXIAIS

segunda-feira, novembro 10, 2008

garimpos de ouro liquido

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
PEDRA DO ALTAR - PERAL - VALE DA MUA


Garimpo de ouro liquido

Chega o “Novem” a terras de Proença e suas gentes partem das aldeias e lugares em busca de tão nobre beneficio, em parcelas por vezes distantes, de difícil acesso e em condições meteorológicas adversas.

Esta busca e recolha de tão valiosas pepitas negras, transmitem um silêncio e um vazio ainda maior a grande parte destes lugares, apenas quebrado pelo regresso dos filhos que apesar de longe na distância, se mantêm sempre perto do seu lar de coração e que retornam para esta epopeia de árduo esforço mas de farta jornada de convívio.

A recompensa a todo este esforço virá depois da passagem pelas galgas e pela prensa onde um jorro de puro ouro liquido que mais tarde irá deliciar o mais apurado dos paladares com o seu aroma e sabor.

Este respeito pelos ciclos naturais de recolha e colecta dos frutos que a natureza dá e que o Homem transforma, são apenas mais um dos aspectos que a Bibliomóvel acompanha e que vai condicionando os seus percursos de uma forma fluida e dourada como o Azeite.

O Papalagui


sexta-feira, novembro 07, 2008

"é mesmo amarelinho...não é? vê lá!"

"olha aqui garrafas de azeite tão amarelinho!"

marchando

passando revista

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
CUNQUEIROS - FÓRNEAS

sexta-feira, outubro 31, 2008

devoluções equilibradas

sem titulo

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
PADRÃO - LAMEIRA DE ORDEM - PALHOTA - MONTE FUNDEIRO

quarta-feira, outubro 29, 2008

estaleiro de afectos

sala de estar bem

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
RABACINAS - SOBRAL FERNANDO - MAXIAIS

sexta-feira, outubro 24, 2008

tertúlia dos habituais

desbravando novos caminhos

"preciso de uma só com rendas!"

capicua
22222 km

podem contribuir com títulos!

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE

CUNQUEIROS - FÓRNEAS

segunda-feira, outubro 20, 2008

busca de aromas e sabores

"você trouxe alguma revista nova da caça!?"

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
PERGULHO - VALE DE ÁGUA - MOITAS

quinta-feira, outubro 09, 2008

escolhas distintas

outros tempos

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
VALE DAS BALSAS - CATRAIA CIMEIRA - PÓVOA

segunda-feira, outubro 06, 2008

"são príncipes e princesas...!"

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
PERGULHO - VALE DE ÁGUA - MOITAS

quinta-feira, outubro 02, 2008

pré-magusto

viticultor leitor

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
RABACINAS - SOBRAL FERNANDO - MAXIAIS

segunda-feira, setembro 29, 2008

repasto com livros

despedidas diluvianas

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
BEJA - PALAVRAS ANDARILHAS - FEIRA DO LIVRO E DA LEITURA

Relatos de um Principiante

Deixamos Beja debaixo de um enorme dilúvio de chuva e de emoções, devo confessar como principiante nestas andanças Andarilhas, que foi uma experiência inolvidável, recomendável e aconselhável.
A troca, a partilha de contactos, conhecimentos, velhos sonhos e eternos anseios e desejos foram uma das marca desta nossa "primeira vez". Tal como todas as "primeira vez" o nervoso miudinho, as incertezas e dúvidas no desempenho e no desfecho final assaltaram-me por diversas vezes.
De toda esta torrente de experiências gostaria de destacar duas delas a primeira, foi a emoção e a saudade que muitos visitantes demonstraram na sua visita a Bibliomóvel, mostrando claramente que a marca indelével das Bibliotecas Itinerantes da Gulbenkian, ainda hoje permanece bem viva na Alma e Razão dos seus visitantes/utilizadores.
A segunda o convívio fraterno entre pessoas que habitam diferentes continentes (Abraço "Compañeros" de África e América do Sul), mas que trazem dentro de si o mesmo Amor/Paixão pelo Livro e a Leitura.
Não gostaria de acabar esta crónica sem uma vez mais destacar o papel importantíssimo, senão vital da EQUIPA da Biblioteca Municipal de Beja, que mostrou como é possível com dedicação,cumplicidade,competência e sensibilidade por em pé uma manifestação tão bela e carregada de sentido ( na impossibilidade de ter-me despedido de todos aqui fica um abraço para todos vós, PARABÉNS!).

Saudações Bibliotecárias Ambulantes
O Papalagui


África - América(do Sul claro!) - Europa

GALISSÁ

"virou Beja!!"

histórica e com histórias

mesa de sonhos


CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
BEJA - PALAVRAS ANDARILHAS - FEIRA DO LIVRO E DA LEITURA

sexta-feira, setembro 26, 2008

sector vermelho

sector laranja

sector amarelo

pinturas de paz

ambulatório

visitantes

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
BEJA - PALAVRAS ANDARILHAS - FEIRA DO LIVRO E DA LEITURA

quinta-feira, setembro 25, 2008

venham outros tantos!

andarilhas coloridas

organização

prazer estar aqui!!

CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE

BEJA - PALAVRAS ANDARILHAS - FEIRA DO LIVRO E DA LEITURA


Já tínhamos ouvido os seus ecos em conversas cruzadas, no entanto estar aqui nas Palavras Andarilhas e contemplar esta aura de Amor e Dedicação a uma causa como são os Livros e Leitura é de facto uma experiência memorável e recomendável.
Nota-se o esforço de toda uma verdadeira Equipa ,que trabalha como tal com uma flexibilidade, eficácia e eficiência notáveis. Esse trabalho nota-se no produto final, um evento excelente e de excelência sempre com Livro e a Leitura como companheiros de andanças.

O Papalagui