terça-feira, dezembro 18, 2012

Adeus e até ao regresso



crónicas de um bibliotecário-ambulante
Adeus e até ao regresso 
O tempo de balanços aproxima-se, as andanças da Bibliomóvel por terras e gente de Proença-a-Nova (2012), acabam para o bibliotecário-ambulante esta semana.
Regressamos em 2013!
Olhando para trás e revendo o ano que passou, passamos em revista a miríade de factos, acontecimentos, sensações e sentimentos que se deixaram ver, ouvir, observar… em suma, sentir!
Esta variedade e quantidade, apesar de não ser estranha, entranha-se profundamente no íntimo. As conquistas, as derrotas, as perdas, os ganhos, as alegrias, as dúvidas fizeram parte do ano de 2012.
O Município de Proença-a-Nova estendeu o nosso espectro funcional, com a integração nas nossas funcionalidades, do seu Posto Móvel de Atendimento ao Munícipe.
Saímos em busca de novos utilizadores/visitantes/Amigos na Aldeia de Xisto da Figueira, onde criámos uma nova paragem e respectivo Posto de Leitura (Casa da Ti Augusta).
Participámos com enorme orgulho num projecto biológico e aromático (Projecto Escola BioAromas), com “Histórias, estórias e outras coisas mais…”.
Levámos Ciência a locais e pessoas que nunca antes tinham tido contacto com ela, através do “Ciência na Aldeia” – parceria com o Centro Ciência Viva da Floresta.
As andanças da Bibliomóvel, foram isto e muito mais, lançamos os dados e jogámos, ganhámos jogadas, mas também perdemos jogos, através da perca de contacto e a ligação, pela lei natural da vida com alguns dos nossos habituais, dos sítios, dias e horas habituais.
Fechamos os ouvidos aos silêncios, entreabrimos os olhos perante as luzes dos holofotes, para não nos cegarem e apenas servirem de faróis para o nosso caminho e escancaramos as portas para a hospitalidade e o bem receber com que todos os dias somos presenteados.
Este é o trilho que desde 2006, temos a honra de perpetuar e o qual queremos prosseguir respeitando assim o legado que outros deixaram, sempre com a mesma vontade de conciliar a razão e o coração, a vontade e o valor.
Antes da despedida a 2012, não podia esquecer-me de todos os que dia após dia, e desde a primeira hora atestam o nosso depósito de combustível social. As vossas manifestações de carinho, Amizade, confiança e preferência para com este projecto, têm sido um elemento fulcral para a visibilidade e o sucesso da Bibliomóvel de Proença-a-Nova.
 Bem Hajam
Adeus e até ao regresso!
Saudações bibliotecárias-ambulantes
o papalagui

sexta-feira, dezembro 14, 2012

frutos da terra

frutos da terra

percurso nublado

sonhos de abóbora 

retorno

crónicas de um bibliotecário-ambulante
cunqueiros - fórneas - pedras brancas

segunda-feira, dezembro 03, 2012

garimpos

garimpo (a solo)

 garimpo (ao par)
 
 descanso do garimpo

crónicas de um bibliotecário-ambulante
cimadas cimeiras - montinho - cimadas fundeiras - vergão

quarta-feira, novembro 28, 2012

extensão bibliotecária(upgrade)

 a maletras (mala das letras)

 posto de leitura casa ti augusta

 xisto

 a bibliomóvel como serviço de extensão bibliotecária,sempre procurou estender ainda mais o espectro da sua funcionalidade, fora de portas e fora do chassis. depois das maletras (mala das letras) - serviço bibliotecário nos centros geriátricos, surgiu agora um posto de leitura na loja da aldeia de xisto da figueira, parte integrante da Casa Ti Augusta.

crónicas de um bibliotecário-ambulante
vale das balsas - figueira - catraia cimeira - póvoa

sexta-feira, novembro 23, 2012

talvez sim,sim talvez sim...



crónicas de um bibliotecário-ambulante

talvez sim, sim talvez sim...

As itinerâncias da Bibliomóvel possuem em si momentos e circunstâncias que acarretam alguma incerteza sobre o efeito, ou não nas pessoas com as quais, mais directamente lidamos no nosso quotidiano ambulante.
As visitas aos lares de idosos constituem em si grande parte desses momentos de incertezas e insegurança. Os motivos são diversos e facilmente explicáveis, a institucionalização, o afastamento das suas realidades emocionais, afectivas e familiares, novas regras de socialização, etc.
Numa destas visitas, o espaço habitualmente utilizado para as nossas sessões de partilhas de histórias e estórias de vidas vividas e por vezes sofridas, estava vazio o que me levou a entrar em espaços diferentes em busca dos meus ouvintes e informadores habituais.
No fundo da sala de convívio, um vulto de uma senhora reclama a minha atenção, sentada, cabisbaixa procuro nas suas faces algum reconhecimento, duvido da minha quase certeza em tratar-se de alguém conhecido, mas sim era ela.
A sua aldeia faz parte das andanças da Bibliomóvel desde o primeiro dia e desde o primeiro dia estava habituado a sua presença, ao seu sorriso dourado (literalmente), a sua alegria, misturada com tristeza e saudade quando falava da “sua” África, o entusiasmo com que partilhava sua maestria na maquina de bordados com as suas vizinhas.
Soube a pouco tempo da morte do seu marido e companheiro e por isso não estranhava a sua ausência, no banco de cimento de 15 em 15 dias. Ali estava ela carregando um luto pesado (demasiado pesado), sentada, um pouco alheada do resto, mas ali estava ela.
Procurei chamar a sua atenção, acenei-lhe uma e duas vezes e nada. Aproximei-me dela e cumprimentei-a:
- Bom Dia D.(…)! Como está, não se lembra de mim?
- Não, não estou a ver quem é. Quem é você?
- Sou o Nuno, da “carrinha dos livros”, que levava as revistas das rendas e dos bordados.
- AHHH! Pois é!!!
- As suas vizinhas já me tinham dito que estava por aqui, elas mandam-lhe cumprimentos.
O seu sorriso dourado (literal) reapareceu.
- Mande-lhes um abraço meu, gostei muito de o ver por aqui.
- Eu venho de 15 em 15 dias, aqui ao lar para contar e ler umas histórias, vamo-nos encontrar com certeza.
- Sim, talvez sim,sim talvez sim…

o papalagui

quinta-feira, novembro 15, 2012

garimpeira de ouro liquido

 garimpeira de ouro liquido

regresso desfocado 

luz artificial

luz reciclada

crónicas de um bibliotecário-ambulante
cunqueiros - fórneas - pedras brancas

sexta-feira, novembro 02, 2012

Portafolio Regional de Proyectos de Lectura - CERLALC




CRÓNICAS DE UM BIBLIOTECÁRIO-AMBULANTE
As andanças da bibliomóvel e do bibliotecário-ambulante, têm tido ao longo destes 6 anos de existência, a companhia e a atenção de variadas instituições e pessoas, que têm demonstrado o seu apreço pelo nosso trabalho.
Esta escolha por parte da DGLAB, para a Bibliomóvel integrar o Portofólio "Por Leer" do Cerlalc, é um reconhecimento, que se transforma em "combustível social" do qual nos alimentamos e nos proporciona energia vital, que se traduz em responsabilidade de tentar fazer todos os dias o melhor,melhor possível, independentemente da circunstâncias.
Bem haja pela vossa preferência e pelo vosso acompanhamento.

saudações bibliotecárias-ambulantes
o papalagui

terça-feira, outubro 30, 2012

noticias de sangue

noticias de sangue

 "deixa-me ver isto melhor!"

crónicas de um bibliotecário-ambulante
alvito da beira - sobrainho dos gaios

sábado, outubro 27, 2012

"olha para este ponto tão bonito!"

 "olha para este ponto tão bonito!"

molhada

crónicas de um bibliotecário-ambulante
pergulho - vale de água - serimogão - moitas

sexta-feira, outubro 26, 2012

embarcado

proa

 popa
 
crónicas de um bibliotecário-ambulante
padrão - lameira de ordem - palhota - monte fundeiro

segunda-feira, outubro 22, 2012

"se eu fosse mais nova..."

 "se eu fosse mais nova...ainda fazia muitos destes panos!"

crónicas de um bibliotecário-ambulante
cimadas cimeiras - montinho -cimadas fundeiras - vergão

quarta-feira, outubro 17, 2012

fonte pública de informação,ficção e entretenimento

fonte pública de informação,ficção e entretenimento

crónicas de um bibliotecário-ambulante
vale das balsas - figueira - catraia cimeira - póvoa

quinta-feira, outubro 11, 2012

a ferver

a ferver


movimento eterno

crónicas de um bibliotecário-ambulante
corgas - malhadal

terça-feira, outubro 02, 2012

D.Lidia "Cesteira" - Tecedeira,Bordadeira e Contadora







d.lidia "cesteira" dos cunqueiros : tecedeira,bordadeira e contadora

crónicas de um bibliotecário-ambulante
centro de dia montes da senhora

sexta-feira, setembro 28, 2012

encharcada

 encharcada III

 encharcada II
 
encharcada I

crónicas de um bibliotecário-ambulante
pergulho - vale de água - serimogão - moitas

quarta-feira, setembro 26, 2012

"xistrado"

arqueologia rodoviária 

"xistrado"

crónicas de um bibliotecário-ambulante
corgas - malhadal

terça-feira, setembro 25, 2012

1ª agua de outono

1ª agua de outono

crónicas de um bibliotecário-ambulante
rabacinas - sobral fernando - maxiais - giesteiras

quarta-feira, setembro 12, 2012

capicua bestial

capicua bestial

largo de sombras

crónicas de um bibliotecário-ambulante
rabacinas - sobral fernando - maxiais - giesteiras

quarta-feira, setembro 05, 2012

leituras fiéis

leituras fiéis

crónicas de um bibliotecário-ambulante
alvito da beira - sobrainho dos gaios

sexta-feira, agosto 31, 2012

alambicada

esplanada

debulhar

alambicada

crónicas de um bibliotecário-ambulante
padrão - lameira de ordem - palhota - monte fundeiro

terça-feira, agosto 28, 2012

Sr.Honório - Sapateiro


ambiente de trabalho


sr.honório - sapateiro


enchente de verão

crónicas de um bibliotecário-ambulante
cimadas cimeiras - montinho - cimadas fundeiras - vergão