segunda-feira, março 12, 2012


crónicas de um bibliotecário-ambulante

Estar à espera, ou procurar”

Enquanto faróis culturais, contra as trevas e o obscurantismo, as bibliotecas sempre estiveram à frente do seu tempo.

Essa virtude aliada à inovação, faz com que estas, mais do que nunca, sejam arautos da defesa do livre acesso à Informação e ao Conhecimento, da Promoção do Livro e da Leitura (em qualquer formato), e da prestação de SERVIÇOS ÚTEIS à comunidade onde estão inseridas.

Esta última função, tantas vezes subestimada, pode contribuir para o estreitamento das relações com os seus visitantes, utilizadores e Amigos.

As possibilidades de oferta podem ser tão diversificadas quanto as necessidades que possam ocorrer no seio da comunidade que as acolhe (bibliotecas), assim consigamos pôr em prática sinergias com as mais diversas instituições e organismos.

Entre outros, os exemplos deste tipo de serviços vão desde o apoio à preparação de candidaturas a empregos, o preenchimento de impressos oficiais, ou mesmo a sensibilização para as novas tecnologias.

Ora as Bibliotecas Itinerantes, fruto da sua mobilidade e dos laços de proximidade, periodicidade, cumplicidade, intimidade e amizade criados com quem as visita, constituem fortes candidatas ao alargamento do espectro funcional da tradicional Biblioteca.

É nesta senda que, a partir do mês de Março, a Bibliomóvel de Proença-a-Nova vai iniciar uma nova etapa do seu percurso, somando aos serviços já disponibilizados atualmente, os prestados no âmbito do atendimento ao munícipe pela inclusão do Posto Móvel de Atendimento do Município:

http://www.cm-proencanova.pt/Municipio/Requerimentos

Num futuro próximo, esta oferta poderá ser expandida através da colaboração com outros serviços, instituições ou organismos, com vista a aumentar o alcance da iniciativa e facilitar o acesso a quem está mais longe.

No Posto Móvel do Município vai ser possível entregar on line (caso haja sinal) os diversos requerimentos (Ação Social, Águas, Apoio ao Agricultor e Empresário, Educação e Proteção Civil) já disponíveis no Balcão Único do Município, bem como efetuar o pagamento (em breve) das respetivas taxas.

Mais uma prova de que as Bibliotecas, mesmo em tempos de crise e insatisfação, podem e devem alargar a sua missão e chegar a mais pessoas, sempre com um sorriso nos lábios!

o papalagui

La Biblioteca está siempre alerta, vigilante y analizante para adelantarse a las necesidades de su sociedad, a la que sirve y al mismo tiempo a la que refleja. La Biblioteca nunca dice no, para ella todo es posible, menos el doblegarse a la política del miedo. No hay un servicio público ni privado tan completo, rentable, práctico y simbólico como la Biblioteca. Nadie da tanto por tan poco.”

Roberto Soto