domingo, março 06, 2016

1000 episódios fazem 10 anos


crónicas de um bibliotecário-ambulante

1000 episódios fazem 10 anos

A semelhança dos Capitães de alto mar que registam nos seus Diários de Bordo as vivências diárias das suas navegações, a criação e o uso de blogues surgiram como páginas de registo de um qualquer diário, em que se substituiu a intimidade e a individualidade pela partilha com toda a rede global.
Essa partilha pode conterpalavras e imagens das descobertas e conquistas, desejos e vontades, aventuras e desventuras, ocasionais desilusões e eternas esperanças ou simplesmente meras futilidades que fazem parte do nosso quotidiano diário.
A ideia nasceu,cresceu e ficou decidida a criação de um blogue. Que nome vai ter? A primeira dúvida surgiu! Imediatamente a imagem de um livro peculiar e especial assaltou-me a imaginação, assim nasceu e ficou registado: O Papalagui. Nome já tinha, agora faltava saber o que vai ter, o que vai mostrar, o que vou publicar? Vai servir para quê? As respostas surgiram pouco tempo depois da sua criação, bastaram cinco dias ao volante da Bibliomóvel para perceber e saber exactamente o conteúdo para este diário de bordo.
Sem técnica, sem material adequado e sem jeito particular para articular palavras que dessem sentido a tudo o que se ia desenrolando nas vivências e existências de um bibliotecário-ambulante ao volante da Bibliomóvel de Proença-a-Nova, ele foi sendo feito e alimentado com essas imagens capturadas, sem técnica apenas com olhar sensível de que quem as estava a observar e com as palavras debitadas tantas vezes seguindo apenas o impulso e um pulsar quase adolescente, sem regras, normas ou acordos.
Uma feliz coincidência junta este milésimo post ao décimo aniversário das andanças da Bibliomóvel que contribuíram, contribuem e com certeza vão continuar a proporcionar momentos,histórias,sensações,emoções,sabores em forma de imagens e palavras que importa registar e partilhar.
Este é o post 1000! O 1001 irá com certeza manter o rumo dos anteriores, mostrar por imagens capturadas no momento e explicadas por palavras imaginadas e sentidas num instante, o dia-a-dia de um bibliotecário-ambulante a tentar fazer acontecer Biblioteca Pública sobre rodas, conciliando a Razão e o Coração.
Gostava de agradecer o combustível social e afectivo em forma de: visitas, visualizações,comentários e partilhas deixados ao longo destes 1000 episódios que mostraram 10 anos de andanças da Bibliomóvel de Proença-a-Nova.
Bem Hajam

Saudações bibliotecárias-ambulantes