sexta-feira, maio 08, 2015

Biblioteca Itinerantes: levar, transportar, disponibilizar Biblioteca e sempre algo mais…


crónicas de um bibliotecário-ambulante

Biblioteca Itinerantes: levar, transportar, disponibilizar Biblioteca e sempre algo mais…

A raiz identitária das bibliotecas itinerantes sempre foi ir e estar junto daqueles que precisam e necessitam dos serviços de uma Biblioteca e, por razões geográficas, ela não está próxima.
As suas origens coincidem com a explosão da Revolução Industrial, que arrastou grandes massas populacionais e transformou as necessidades e também as vontades de acesso as Bibliotecas.
As Bibliotecas Itinerantes possuem no seu ADN essa necessidade de ir e estar mais perto de quem quer ou necessita usufruir dos serviços dessa casa de Liberdade que é uma Biblioteca.
Esse esbater de fronteiras geográficas e funcionais mantêm-se até hoje como a imagem de marca que prevalece e que por todo o Mundo ,resiste, evolui e adapta-se as exigências de um constante devir na produção e necessidades de Informação e Conhecimento, nos mais diversos suportes e formatos.
Essa capacidade de adaptação, circunstância obrigatória para quem faz da estrada o seu território funcional e emocional tem sido a chave para a sua sobrevivência. Vivemos tempos em que o acesso pode ser considerado universal, no entanto, tal como no passado existem franjas (vastas) da população que se encontram fora do circuito habitual de acesso normalizado a um serviço bibliotecário livre.
Valores como a Proximidade, Periodicidade, Cumplicidade, Intimidade e Amizade ajudam (são essenciais!) nessa missão de levar, transportar e disponibilizar Biblioteca.
A preocupação com as pessoas contribuiu e por isso continua a contribuir para que os relatos sobre as boas vivências individuais e comunitárias com as Bibliotecas Itinerantes, sejam idênticos em qualquer das quatro partidas deste Mundo. Uma Biblioteca feita por pessoas para pessoas!
Ir ao encontro das necessidades e vontades daqueles que usam, abusam e desfrutam daquilo que levamos e disponibilizamos é obrigatório e essencial no cumprimento da nossa missão/paixão.
As Bibliotecas mudam (são obrigadas a isso!) os espaços sacralizados de outrora dão lugar a espaços vivos que convidam as comunidades a entrar, a estar, a usar. A desfrutar!
 Essa ligação umbilical entre Biblioteca/Comunidade e que nalguns casos foi/é o garante da sua sobrevivência e resistência contra poderosas ameaças a sua viabilidade e existência, é garantida e reforçada com a adequação dos serviços prestados com as reais necessidades da população que usa ou que pode vir a usar dentro da Biblioteca.
As Bibliotecas Itinerantes são Bibliotecas. Usufruem dessa enorme vantagem de estarem e irem ao encontro dos seus visitantes/utilizadores/Amigos. Esse importante trunfo garante para já uma enorme vantagem nessa relação fraterna, que importa valorizar e reforçar. Força da sua natureza mais informal, podem ajudar a esbater barreiras (que ainda subsistem) mais facilmente, para um total desfrute e usufruto de tudo o que as Bibliotecas disponibilizam.
Quem diariamente e globalmente fazem (e são muitos) acontecer as Bibliotecas Itinerantes por essas estradas, terras e gentes do planeta Terra têm noção das suas especificidades funcionais. Isso não nos transforma em melhores ou piores que todos os outros, apenas diferentes nessa nobre missão de fazer acontecer Biblioteca, como um espaço vivo de Liberdade e Fraternidade onde a Informação, o Conhecimento, os Serviços, os Afectos são elementos primordiais na sua interação e integração na Comunidade que serve e da qual depende.

“Bibliotecas ruins fazem coleções. Bibliotecas boas realizam serviços (dos quais uma coleção é apenas um deles). Bibliotecas excelentes criam comunidades” R.David.Lankes